Aside

http://www.authorstream.com/Presentation/romana77-653208-estrutura-et-ria-da-popula-o/

Encontro sobre Podcasts: 8 e 9 Julho de 2009, Universidade do Minho

logo_2

Realiza-se nos dias 8 e 9 Julho de 2009, na Universidade do Minho, o Encontro sobre Podcasts.

O objectivo do encontro reside na formação, partilha e discussão sobre a utilização desta ferramenta nos diferentes níveis e modalidades de ensino: do jardim de infância ao ensino universitário, em regime presencial e a distância.

A submissão de comunicações ou posters, em texto integral, deve ser feita até 17 de Abril de 2009.

Consultar mais informações em:
http://www.iep.uminho.pt/encontro.podcast/
http://encontropodcast.wordpress.com/
E-mail: podcast@iep.uminho.pt

Encontro sobre Web 2.0

bannerweb20_b.jpg

Irá realizar-se no dia 10 de Outubro de 2008, na Universidade do Minho, o Encontro sobre web 2.0.

O evento promove diversas conferências e workshops sobre as implicações da web 2.0 no processo de ensino e aprendizagem, constituindo uma oportunidade para quem pretende iniciar ou aprofundar a utilização das ferramentas da web 2.0, tais como os blogues, os wikis, os podcasts, o youtube, entre outros.

Para mais informações, consulte aqui a página do encontro.

by Romana Maciel

De volta!

Já se passaram alguns meses desde o último post, é verdade… O mestrado terminou (a parte curricular, o melhor ainda está para vir!), vieram as férias, bem merecidas e bem passadas na bela vila de Cerveira e o começo deste ano lectivo foi duro… enfim, tudo boas razões (ou desculpas, se preferirem) para justificar o meu silêncio aqui no blogue.

Mas, o importante é que estou de volta e prometo retomar em força com os nossos assuntos sobre a utilização das TIC na educação. Antes disso, quero partilhar uma descoberta magnífica: o NeoTec_edu é um blogue para génios!!! quem o diz é o site Blog Readability Test, que avalia supostamente o nível de leitura ou de educação necessário à compreensão dos posts. Apesar de duvidoso… aqui fica a certificação da genialidade deste blogue 🙂

This Blog is at a Genius Reading Level.

By Romana Maciel

Avaliação On-line: ferramentas Web 2.0

A avaliação on-line, que ocorre contextualizada na modalidade do elearning, supõe o recurso aos serviços e ferramentas avaliativas disponíveis na Web, que permitem obter o feedback dos conhecimentos transferidos e, desse modo, proceder a eventuais reajustamentos do processo educativo/formativo.

Por outro lado, também os alunos/formandos dispõem da possibilidade de efectuar a auto-avaliação em qualquer momento do seu percurso, dado que o acesso à avaliação é imediato.

Mapear conceitos é uma estratégia que permite ao aluno/formando (re)organizar ideias e conceitos através de mapas, possibilitando ao professor/formador proceder à avaliação de forma eficaz, dado que esses mapas reflectem a estrutura cognitiva dos seus autores, e podem inclusivamente servir para diagnosticar problemas cognitivos.

O Cmap Tools é uma ferramenta que permite construir, navegar, partilhar e reflectir criticamente sobre os modelos de representação do conhecimento, através da elaboração de mapas conceptuais. Para fazer o download, clique na imagem.

header_download.gifheader_download.gifComo referido no post anterior, os testes objectivos constituem-se como suporte à avaliação. Entendo que a sua utilização em contexto educativo/formativo é de salutar, desde que integrada numa avaliação contínua. Nesse sentido, considero importante frisar que a utilização de testes objectivos deve ocorrer contextualizada no próprio processo de aprendizagem, atendendo aos objectivos pre-definidos e às características dos aprendizes.

Por outro lado, a utilização de testes objectivos deve ser perspectivada no âmbito da avaliação somativa, mas sobretudo na avaliação diagnóstica e formativa, constituindo excelentes formas de auto-avaliação.

O Hot Potatoes é uma ferramenta muito útil para a construção de actividades de  aprendizagem on line, incluindo testes de escolha múltipla, palavras-cruzadas, testes de correspondência, entre outros. Para visualizar alguns exemplos de actividades elaboradas na ferramenta Hot Potatoes, clique aqui. Para fazer o download, seleccione a imagem.

hpheader611.gif

Apesar da facilidade de construção, aconselho a leitura prévia do tutorial. Bom trabalho…

By Romana Maciel

Avaliação On-line

A educação a distância (EaD) tem vindo a ganhar relevância no contexto da crescente e vertiginosa capilarização da Internet, o que reforça a polémica em torno da questão da avaliação (Otsuka & Rocha, 2002), cujo conceito constitui provavelmente o maior “calcanhar de Aquiles” no contexto da formação, inclusive a realizada à distância (Menezes, 2004).

A avaliação a distância, mediada por computador e baseada nos serviços da Internet, é designada por avaliação on-line. Este tipo de avaliação enfrenta diversos obstáculos, mas apresenta igualmente múltiplas vantagens e potencialidades, sendo objecto de duas linhas de investigação que visam precisamente, por um lado, a diminuição das suas restrições e, por outro, a exploração das suas vantagens.

Uma dessas linhas de investigação consiste no suporte à avaliação baseada em testes objectivos, que apresentam a vantagem de proporcionar um feedback imediato, além da rapidez e facilidade da aplicação. Deste modo, os testes objectivos comportam questionários personalizados de acordo com os objectivos predefinidos pelo professor/formador (Brusilovsky & Miller, 1999 in Otsuka & Rocha, 2002) e ainda “o desenvolvimento de questões adaptativas, de acordo com a análise do conhecimento do aluno em diferentes conceitos e tópicos, representado pelo modelo do aluno” (Karagiannidis et al., 2001: 2)

A avaliação é actualmente concebida como um processo que supõe um compromisso com a aprendizagem e a produção do conhecimento, no decurso do acto interrogativo e investigativo (Luckesi, 2000; Hoffmann, 2001; Demo, 2002 in Júnior & Alves, 2003), isto é, a avaliação é centrada no processo de ensino-aprendizagem, o que denota uma nova abordagem que se distancia da visão tradicional e tecnicista do exame ou julgamento.

Neste contexto, a atenção recai fundamentalmente numa outra linha de investigação baseada no suporte à avaliação contínua, realizada através do acompanhamento das actividades e contribuições do aluno/formando, cuja relevância reside precisamente, no âmbito da EaD, na possibilidade de percepcionar a identidade e o comportamento do aluno e ainda na identificação de eventuais dificuldades (Otsuka & Rocha, 2002) e subsequente adopção de estratégias no sentido de contrariar essas dificuldades. Neste sentido, a avaliação implica, como referem Gomes & Silva (2004: 1), “a participação de diferentes actores num processo que não se esgota na previsão e programação de objectivos, de meios, de actividades definitivos, mas que se traduz numa dinâmica de construção e de adaptação contínua”, que pressupõe, como afirma Menezes (2004: 56) “a compreensão do processo ensino-aprendizagem como um todo, num continuum de várias etapas”, que correspondem aos tipos de avaliação: de diagnóstico, formativa e somativa.

A avaliação diagnóstica constitui uma avaliação inicial fundamental dado que possibilita o delineamento do perfil da turma e a identificação do nível de conhecimentos da mesma e, posteriormente, a tomada de decisões por parte do professor/formador no sentido de propor “alternativas e possibilidades pedagógicas que intervenham na zona de desenvolvimento proximal dos sujeitos (Vygotsky, 1994 in Júnior & Alves, 2003: 742), através da adopção de estratégias e metodologias capazes de suprimir eventuais dificuldades e/ou potencializar a aprendizagem.

A avaliação formativa “é contextualizada, fléxivel, interactiva e presente ao longo de todo o processo de ensino-aprendizagem” (Menezes, 2004: 58). A tomada de decisões é, desse modo, “cooperativa, colaborativa, interactiva, uma vez que não prescinde da participação activa de todos os envolvidos no processo pedagógico” (Júnior & Alves, 2003: 743), o que promove a autonomia e a motivação do aprendente (Menezes, 2004). A avaliação incide assim no grau de aquisição de conhecimentos mas também no feedback do aluno, ou seja, na dinâmica e empenho demonstrados no desenvolvimento das tarefas propostas e no nível de interactividade (Menezes, 2004: 58), que supõe a auto e hetero-avaliação, que Júnior & Alves (2003) denominam por saber fazer avaliativo.

Por último, a avaliação somativa diz respeito à avaliação global que decorre no final de uma unidade/módulo de formação, supondo a classificação do aluno/formando. Este tipo de avaliação é, muitas vezes, conotada com sentido negativo dado que surge associada à perspectiva tradicional e objectivista do ensino. Contudo, corroboro a opinião de Menezes (2004) de que este tipo de avaliação não deve ser assim entendida, pelo menos no âmbito da avaliação contínua, pois a avaliação somativa resulta, nesse contexto, da soma de todos os elementos avaliativos recolhidos ao longo do processo de ensino-aprendizagem e não apenas do teste/exame realizado no final, como acontece na abordagem objectivista da educação.

Deste modo, devemos considerar estes pressupostos avaliativos no contexto de renovadas epistemologias da cognição e da didáctica quando consideramos o desenvolvimento de actividades e formas de avaliação on-line, de carácter construtivista. Para uma melhor compreensão do tema e síntese dos principais parâmetros a ter em conta, sugiro a visualização do slideshow “Avaliação e Internet”, que apresento de seguida.


“>Referências Bibliográficas:

Gomes, M. J.; Silva, B. D.; Silva, A. M. (2004). Avaliação de cursos em e-learning. Actas da Conferência e’LES04 – eLearning no Ensino. Aveiro: Universidade de Aveiro. Disponível em: http://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/665/1/eLES-GSS.pdf (Acedido em Julho de 2007)

Júnior, Arnaud; Alves, Lynn (2003). Educação e Contemporaneidade: novas aproximações sobre a avaliação no ensino on-line. A publicar. Disponível em: http://www.lynn.pro.br/pdf/art_avaliacaoonline.pdf (Acedido em Julho de 2007).

Menezes, Cristina (2004). E-learning para e-formadores. TecMinho/Gabinete de Formação Contínua. Braga: Universidade do Minho.

Otsuka, Joice Lee; Rocha, Heloísa Vieira (2002). A caminho de um modelo de apoio à avaliação contínua. São Paulo, Brasil: Universidade Estadual de Campinas. Disponível em: http://teleduc.nied.unicamp.br/pagina/publicacoes/15_jh_wie2002.pdf (Acedido em Julho de 2007).

By Romana Maciel

Google Books: uma livraria virtual

O Google books constitui um poderoso repositório de obras literárias, em versão integral ou parcial, permitindo o acesso e a leitura on-line dos livros aí existentes…

 books4.jpg         Princinples of effective Online Teaching 

 

books.jpg

 

 E-learning: putting a world-class education at the fingertips of all children      

 

Das minhas pesquisas, seleccionei duas obras relacionadas com a educação a distância e o elearning, que se encontram disponibilizadas em versão integral, a que pode aceder com um clique na respectiva imagem. Boa leitura 😉

by Romana Maciel