Pedagogia do Blog

O blogue é um diário virtual que envolve“ o lado pessoal, emocional e profissional” (Bitencourt, 2005: 1), constituíndo uma ferramenta pedagógica e cognitiva, capaz de promover a construção do conhecimento individual e colaborativo, partilhado e construído socialmente (Jonassen, 1981), através da permuta da informação e do conhecimento.

O blogue constitui, deste modo, um poderoso recurso de comunicação que integra professores e alunos, criando um vínculo de cumplicidade, permitindo trocas e experiências, pressupondo o envolvimento activo do aluno no seu próprio processo de aprendizagem.

Nesta perspectiva, o blogue constitui essencialmente uma estratégia pedagógica, centrada nas actividades desenvolvidas pelo aluno no decorrer da construção do blogue, na condição de autor ou co-autor do mesmo, o que supõe todo um trabalho de ” pesquisa, selecção, análise [e] síntese” (Gomes & Lopes, 2007: 123) preliminar à publicação das mensagens, que reflectem os objectivos e as competências aí desenvolvidas.

Nesse sentido, o blogue pode, na opinião de Gomes (2005: 3), constituir-se sob várias formas, concretamente de portefólio digital, espaço de intercâmbio e colaboração, espaço de debate (role playing) e/ou de integração.

A utilização do blogue como portefólio digital das aprendizagens pressupõe, como referido, a sua construção por parte dos alunos, devendo “ser um processo gradual de reflexão e maturação pessoal em diversas dimensões mais do que um simples repositório de documentos e artefactos” (Gomes, 2005: 4), advindo daí vantagens nomeadamente no que se refere à avaliação, como já tive oportunidade de referir num post anterior.

Por outro lado, o desenvolvimento de projectos de intercâmbio entre escolas, recorrente no panorama da educação nacional, assume “uma nova forma, mais permanente, mais visível e mais colaborativa” (Gomes, 2005: 4), quando se verifica o recurso ao blogue nesse contexto, uma vez que, além de proporcionar o registo cronologicamente contínuo das mensagens, assume uma maior visibilidade inerente à publicação na web, permitindo a participação simultânea de um número crescente de escolas/alunos/professores.

Como espaço de debate, o blogue deve permitir o desenvolvimento da estratégia de role playing ou desempenho de papeis, que detém um grande potencial educativo, através da organização de diferentes grupos de uma turma ou várias turmas de uma ou mais escolas (Gomes, 2005). por último, o blogue promove a integração na medida em que constitui um poderoso meio de comunicação, nomeadamente entre jovens culturalmente diversificados e, igualmente, permite a integração de alunos em  situações pontuais, como no caso de doença prolongada.

 Enquanto recurso pedagógico, o blogue proporciona essencialmente uma viagem ao mundo da informação, “disponibilizada pelo professor ou por sujeitos e/ou entidades que o professor reconhece como credível” (Gomes & Lopes, 2007). Nesse contexto, o blogue é perspectivado como espaço de disponibilização de informação por parte do professor ou como espaço de acesso a informação especializada, respectivamente (Gomes, 2005: 3) … que torna as aulas mais estimulantes, motivadoras e interessantes.

Pelas razões apresentadas, adopte este lema: Torne-se um blogueiro, interaja com o mundo inteiro!

dddd

Referências bibliográficas:

Bitencourt, Jossiane (2005). O que são blogs?. Brasil: Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Disponível em: http://penta3.ufrgs.br/PEAD/Semana01/blogs_conceitos.pdf (Acedido em Abril de 2007)

Gomes, Maria João (2005). Blogs: um recurso e uma estratégia pedagógica. In Actas do VII Simpósio Internacional de Informática Educativa, Portugal: ESSE Leiria. pp. 311-315. Disponível em: https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/4499/1/Blogs-final.pdf (Acedido em Março de 2007)

Gomes, Maria João; Lopes, António Marcelino (2007). Blogues Escolares: quando, como e porquê? In Actas da Conferência Weblogs na Educação – 3 testemunhos, 3 experiências. Setúbal: Centro de Competências CRIE da ESE de Setúbal. Disponível em: https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/6487/1/gomes2007.pdf (Acedido em Abril de 2007)

Jonassen, David. H. (1981). What are cognitive tools? USA: University of Colorado. Disponível em: http://www.cs.umu.se/kurser/TDBC12/HT99/Jonassen.html (Acedido em Janeiro de 2007).

by Romana Maciel

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s